Arte, cultura, gastronomia e música: confira lugares da boemia para dançar e curtir a saideira na capital baiana

Fachada de ateliê, espaço de cultura e espírito de boteco. Para além dos tradicionais bares de portas abertas, balcão e mesas à rua, na capital baiana, cantinhos interessantes de ideias, resenha e encontro entre amigos – regados a drinks e cerveja – movimentam a cena cultural da noite soteropolitana.

Foi pensando nesses espaços especiais, de música, boa prosa e resenha liberada que o Dicas da Saideira abriu a rodada da última semana com os convidados Liza Araújo, do ABOCA Centro de Artes, e Ivo Lagge, do Cien Fuegos. No estúdio, eles falaram sobre os ambientes convidativos, que te chamam para aquele “rolê irreverente” quando a pauta é “bebemorar”.

Nas faixas musicais, quem comandou a dança no programa foi o cantor Luisito Gutierrez, que chamou o embalo na latinidade, com merengue, salsa e outros ritmos.

Pra quem gosta de espaço alternativo, as dicas são uma oportunidade de curtir com a galera, tomar aquela gelada e ainda passar a “night” animada ao som de música latina, derramando o suor na pista, ou curtindo de perto as performances do centro de artes, com palco aberto e aquela boa dose de improviso.

Perdeu a rodada e quer saber como foi o agito por lá? Então se ligue no link, que a edição completa está disponível online: https://www.facebook.com/aratuon/videos/559536881237234/. Acompanhe também pelas redes sociais @dicasdasaideira.

E saiba mais sobre os cantinhos da boemia que participaram da 66ª rodada:

ABOCA (Associação Baiana e Observatório de Cultura e Arte):

Créditos: Divulgação ABOCA (@abocacentrodeartes)

Fundada há 5 anos, como espaço de ocupação e manifestação de expressões artísticas e culturais, ABOCA virou local criativo de ideias, de mobilização, artes plásticas, música e poesia. A atmosfera fluida da casa restaurada com materiais reciclados, no coração do centro histórico de Salvador, ganhou melodia quando se tornou ponto de encontro para as reuniões musicais de J. Velloso e hoje o local é reduto de artistas, escritores, atores e entusiastas do cenário cultural, na capital baiana.

Por lá, você encontra um acervo audiovisual e obras de Juarez Paraíso, Carlos Bastos e até Carybé; “mosaico estético das expressões artísticas baianas”, como bem definiu Liza Araújo, ABOCA te convida para falar, se manifestar, se movimentar e transformar as peças de um antigo casarão histórico em ambiente criativo, envolto de arte em todos os sentidos.

Pra melhorar, ainda tem uma pizza de massa artesanal, pra dar aquela força na hora da fome. ABOCA está localizada na Rua dos Marchantes, nº 12, e funciona diariamente a partir das 18h, lembrando que as quartas são especiais no espaço, com programação musical que começa às 20h e termina às 22h, em Santo Antônio Além do Carmo.

CIEN FUEGOS:

Créditos: Divulgação Cien Fuegos (@cienfuegosmexicano)

Especializada em cultura mexicana, a casa alia a culinária típica com um toque baiano. Além de pratos como flautitas, guacamole, tortilhas, burritos e nachos, o Cien Fuegos te leva para conhecer espaços temáticos, com o melhor das cores, da música e das bebidas latinas. Tá bom pra você? Então espere até experimentar o drink mais pedido da casa, “Frida”, que homenageia a ícone mexicana e te leva ao ápice dos sabores do morango, em uma mistura leve e refrescante pelos aromas capazes de tornar, como bem diria Ivo Lagge, representante do Cien Fuegos, “as suas noites mais calientes”.

O estabelecimento funciona de terça a domingo na Rua Alexandre Gusmão, nº 60, no Rio Vermelho, “point” da boemia soteropolitana.

Nenhum Comentário

Os comentários estão desativados.