O fundo do Mar e a Alta Costura – Preferidões!

Olá meninas!

Camadas de tecidos, brilhos e sofisticação. Reunimos aqui os nossos desfiles preferidos da Semana de Alta Costura de Paris, os que a gente acha que são mais que um desfile: são o trabalho de concepção junto com o poder criativo dos estilistas.

Iniciamos pela tsunami de cores proposta pela Maison Margiela, que, mestre em passarelas conceituais, apresentou a discussão entre o mundo real e o digital. As marcas Elie Saab e Zuhair Murad  se inspiraram no fantástico fundo do mar, em um show de brilho com criações perfeitas. A dupla Viktor&Rolf se inspirou nas legendas do instagram, enquanto Jean Paul Gaultier fez uma viagem à década de 80. Finalizando o dia,  Valentino chegou com suas criações supersized em muitas camadas de tecidos rendados e florais, ousado sem perder seu diferencial. Vem ver!

 

Maison Margiela ( @maisonmargiela ) Iniciou o terceiro dia de ações com um cenário repleto de cores vibrantes discutindo as imagens geradas pelo computador e sua consistência na realidade, resultando em um clima caótico e de inquietude. A marca é famosa pelos desfiles mais conceituais e marcantes, utilizando peças e tecidos que desafiava o público a decifrar o que era real e o que não era, típico do seu tema, como o meio digital.

 

Fonte: Fashionista

 

Elie Saab ( @eliesaabworld @eliesaabhautecouture ) Sem dúvidas, os vestidos mais elaborados e perfeitos, que celebravam a mulher e a magia de sua feminilidade. O tema exaltou as sereias luminosas e todo seu glamour refletidos em silhuetas sinuosas e lanteloujas prateadas azul-oceano. Assimetria, tules plissados, organza e tafetás com lindos bordados recriando os tradicionais vestidos de baile, sem perder a maestria. Perfect!

 

Foto:Runway

 

Jean Paul Gaultier ( @jpgaultierofficial ) A cor e o poder em uma viagem cheia de vida à década de 80 e à era ´toy boy´, repleta de listras azuis e brancas no padrão navy. Em uma viagem multicolorida, o artista apostou em peças estruturadas, camadas de tecidos, assimetria e ombros estruturados.

 

Fonte: WWD

 

Viktor&Rolf  ( @viktorandrolf  ) A gente sempre espera uma pitada de humor desta dupla. Depois de criações em formas camas da última temporada, foi a vez de vestidos supersized  de proporções extremas inspirados em legendas do Instagram e camisetas de lembranças (exemplos incluem “Get mean”, “Whatever” e “I am my own muse”). Este tipo de mensagem é facilmente encontrada nas mídias sociais em formas de hashtags, e foram transportados para os vestidos. Teve ainda frases como “Eu quero um mundo melhor” e o mais anti-social de todos (e que a gente amou!) “Desculpe, estou atrasado. Eu não queria vir.”.

Fonte: Vogue

 

Zuhair Murad ( @zuhairmuradofficial ) Sereias e criaturas do mar são fascinação universal, e mais um artista se inspirou nessas figuras para criar o seu show. Nas fantásticas terras subaquáticas, perfeitas para embalar qualquer verão, um toque moderno foi combinado a silhuetas inspiradas nos anos 80. Sem traduções muito literais, exceto por um vestido de tule de várias camadas incrustado com corais bordados, a coleção apresentou leveza e peças que evocam a sensação de ondulações na água. A paleta de cores estava encantadora, avançando para trás a partir de tons azul-preto inspirados na profundidade do oceano, passando por todos os tons de turquesa, aqua, rosa e coral, e prata no final. Majestoso!!!!

 

 

Fonte: Vogue

 

Valentino ( @maisonvalentino ) Volumes e mais volumes. Foi assim que a marca desfilou sua coleção nesta temporada. Em uma passarela repleta de cores harmônicas e muito floral, o tradicional que não acredita em costura modernista propôs uma coleção marcada pela leveza e singularidade. Foram vistos vestidos de mangas compridas, muitos babados, rendas claras em modelos emoldurados, na tentativa de uma a celebração de graça e beleza.

 

Fonte: Vogue

Nenhum Comentário

Os comentários estão desativados.